8 dicas para identificar um boleto falso

Mesmo com o “boom” do Pix e dos cartões de crédito, o boleto ainda figura entre uma das formas de pagamento favoritas dos brasileiros. Mais precisamente, ocupa o segundo lugar da preferência nacional ao se considerar a quantidade de transações, de acordo com o Banco Central do Brasil (Bacen), perdendo apenas para o Pix. Em relação a valores, ocupa o terceiro lugar do ranking, atrás somente da Transferência Eletrônica Disponível (TED) e do Pix.

 

Em março deste ano, por exemplo, foram transacionados R$ 386 milhões por meio de boletos. O problema é que esse tipo de operação financeira é muito alvo de crimes. Em 2021, o Brasil registrou 4,1 milhões de movimentações suspeitas de fraude, conforme o Indicador de Tentativas de Fraude da Serasa Experian. Esse número representa aumento de 16,8% em relação ao acumulado de 2020 e se destaca por ser o mais expressivo de toda a série histórica, iniciada em 2011.

golpe do boleto não é novo, porém tem sido aperfeiçoado pelos infratores que fazem cópias dos documentos de cobrança como se fossem verdadeiros e o pagamento feito pela vítima cai na conta bancária do golpista. Dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) indicam que, durante a pandemia de covid-19, esse tipo de ocorrência cresceu 45% no País. Mas como escapar?

Para se prevenir, é importante saber identificar um boleto falso. Segundo o especialista Guilherme Petersen, diretor-executivo (CEO) da plataforma para negócios digitais de alta performance Ticto, existem indicativos visuais que podem apontar a veracidade do boleto.

Vale destacar que eles são extremamente técnicos e, por isso, pouco práticos de analisar no dia a dia. Mas alguns aspectos podem ser considerados. Confira oito dicas!

É preciso estar atento a algumas evidências para não cair no golpe do boleto falso. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

1. Certifique-se de que a fonte é confiável

“A melhor forma de se ter certeza da autenticidade é receber o documento de uma fonte confiável e oficial”, afirma Petersen. O ideal é conhecer bem a empresa emissora e saber se ela realmente é confiável.

2. Confira se o app do banco consegue ler o código de barras

Um sinal de alerta é o fato de o aplicativo do banco não conseguir ler o código de barras, obrigando o usuário a copiar o número do boleto. “É um indicativo de que você deve prestar atenção”, pontua Petersen.

3. Atente-se aos nomes no boleto

Boletos registrados em Débito Direto Autorizado (DDA) no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) do pagador e que tenham como beneficiário um nome não reconhecido pelo responsável em fazer o pagamento devem acender um alerta.

O especialista explica que, com a maior adesão ao DDA, o “trabalho” dos fraudadores ficou ainda mais fácil. Verifique também se os dados pessoais do pagador estão presentes, completos e corretos no boleto.

4. Fique atento a valores discrepantes

Se o valor no momento do pagamento for diferente do que está impresso no boleto, preste atenção: “Isso não quer dizer que, se o valor estiver correto, o boleto é legítimo, mas é mais um ponto a se considerar”, diz Petersen.

5. Desconfie de boletos repentinos que chegam por e-mail ou SMS

Receber por e-mail ou mensagem uma segunda via de boleto que não tenha sido solicitada sinaliza uma grande chance de o documento ser uma fraude.

6. Consulte a numeração das instituições bancárias

Outra conduta útil para se evitar cair no golpe do boleto falso é verificar se os primeiros dígitos do código de barras do documento coincidem com o código do banco emissor. É possível consultar a numeração de todas as instituições bancárias no site da Febraban.

7. Confira erros ortográficos

Erros ortográficos são comuns em boletos falsos. Verifique se há algo assim no documento e, caso haja, ligue o alerta.

8. Tenha o controle das datas de vencimentos e dos débitos

Não confie apenas na memória quando o assunto for contas a pagar, porque isso aumenta o risco de se cair em golpes financeiros. Tenha o controle das suas finanças e registre as datas de vencimentos de débitos para evitar ser vítima de fraudes.

O primeiro passo para quem cair no golpe do boleto falso é procurar o mais rápido possível a instituição financeira que emitiu o documento. Petersen explica que, como o boleto geralmente tem um prazo de compensação entre um dia e dois dias, pode existir tempo hábil para reaver o dinheiro.

Se ao receber o boleto o pagador ficar na dúvida da veracidade do documento, a orientação é não o pagar. “Solicite um novo boleto por meio de um contato oficial fornecido pelo estabelecimento do qual você deseja efetuar a compra ou o pagamento”, recomenda o especialista.

Fonte: Estadão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.