Acusado de matar Mariana Thomaz é transferido de presídio

O empresário Johannes Dudeck, acusado de estuprar e matar a estudante de medicina, Mariana Thomaz, teve a mudança de penitenciária determinada pela Justiça da Paraíba. A jovem foi assassinada em março deste ano no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa.

Johannes Dudeck permanecia preso, desde o dia do crime, na Penitenciária Especial no bairro Valentina de Figueiredo, mas nunca apresentou a comprovação de conclusão do ensino superior. O Portal T5 teve acesso ao documento assinado pelo juiz Carlos Neves da Franca Neto, em que autoriza a transferência de Johannes para a Penitenciária Desembargador Flósculo da Nóbrega, o Róger.

Conforme a Justiça, o direito à cela especial é garantido a diplomados por quaisquer faculdades de nível superior.

O diploma do acusado chegou a ser exigido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) durante a segunda audiência de instrução do caso, que aconteceu em maio deste ano. Naquele dia, Johannes afirmou que era graduado em uma faculdade privada e apresentaria o documento em poucos dias.

O crime

Mariana Thomás de Oliveira, de 25 anos, foi encontrada morta, com sinais de asfixia, na manhã do dia 12 de março, em um apartamento no Cabo Branco, em João Pessoa. Mariana é natural do Ceará.

O suspeito do crime, o empresário Johannes Duceck, foi preso em flagrante. Ele é o proprietário do apartamento onde Mariana foi encontrada sem vida. Após o crime, o homem chamou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) alegando que a vítima teria sofrido uma convulsão.

Mariana Thomaz foi morta em João Pessoa.

 

Imagens do circuito de monitoramento de um condomínio que fica no bairro Cabo Branco registraram os últimos momentos de vida da estudante. No material é possível visualizar que o casal chega pouco depois da meia noite. Nota-se também que a presença de uma garrafa de bebida. Eles caminham em um corredor até entrarem em um dos apartamentos.

Fonte: Portal T5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.