Americano bate Ford GT de R$ 3,5 milhões por não saber dirigir um carro manual

Um americano de 50 anos, possivelmente passando por uma crise de meia idade, se tornou o feliz proprietário de uma verdadeira joia automotiva: um Ford GT Gulf Oil Heritage Edition ano 2006. Edição limitada e muito rara do superesportivo da Ford, com apenas 343 unidades produzidas.

A máquina foi comprada em um leilão por US$ 701 mil (cerca de R$ 3,5 milhões, na cotação da época). Porém, a alegria durou pouco e, por não saber dirigir um carro com câmbio manual, o novo dono acabou batendo o carro.

Batida a 55 km/h

Em entrevista para a revista “Road&Track”, dos Estados Unidos, Robert Guarini, o comprador, explicou que o acidente aconteceu quando ele estava trocando da primeira marcha para o ponto morto. Além disso, ele esclareceu que não estava correndo com seu Ford GT quando o acidente aconteceu.

Ford GT
Carro bateu em uma árvore e bloqueou a calçada de um condomínio em Boca Ratón, na Flórida. Crédito: John Peddle/Facebook

“Não quero que pensem que eu estava correndo a 150 km/h”, disse Guarini. “Eu estava a 55 km/h”, completou ele. No entanto, segundo a polícia de Boca Ratón, na Flórida, não foi possível estabelecer a qual velocidade o veículo estava no momento da batida.

O carro bateu contra uma árvore, em velocidade suficiente para acionar os airbags e fazer com que o carro deslizasse até o meio da calçada, o que bloqueou a passagem de pedestres. Além disso, o Ford GT não estava registrado e a carteira de habilitação de Robert Guarini estava vencida, o que configura duas infrações de trânsito.

Carro ainda não tinha seguro

Na entrevista para a Road&Track, Guarini admitiu que realmente não tem o hábito de dirigir carros com câmbio manual, porém, esse não teria sido o único fator para o acidente. Segundo ele, os pneus estavam velhos e o asfalto estava sujo de lama e com baixa aderência. Quando patinou, ao invés de reduzir as marchas, o motorista aumentou, e acabou batendo.

Guarini acabou sendo autuado por, além de dirigir com a carteira de habilitação suspensa, conduzir sem que o veículo estivesse segurado. Porém, ele se defende e diz que o carro estava coberto por uma apólice de seguro, mas que a documentação não estava com ele no momento do acidente.

Fonte: Olhar digital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.