Câncer, Parkinson e outras doenças: saúde de Putin é alvo de especulações

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, é figura constante nas manchetes do noticiário mundial. Nem sempre o foco são as ações do mandatário na guerra na Ucrânia, que começou em feveireiro deste ano. Há também muitas especulações sobre seu estado de saúde, e novas versões sobre esse assunto voltaram a circular.

Na semana passada, o chefe da inteligência ucraniana, Kyrylo Budanov, afirmou ao canal Ukrainskaya Pravda que Putin tem “várias doenças graves, uma das quais é o câncer”, mas que ele não estaria perto de morrer. Já um ex-espião soviético disse que o presidente tem mal de Parkinson.

New Lines Magazine publicou no início de maio que teve acesso a uma gravação de um oligarca russo em que ele diz que o presidente está “muito doente com câncer no sangue”.

Em abril, o portal Proekt Media, que atualmente está bloqueado em território russo, fez uma reportagem levantando várias evidências de que Putin estaria tratando um câncer na tireoide.

Segundo a publicação, o cirurgião Yevgeny Selivanov, do Hospital Clínico Central de Moscou, fez 35 visitas a um resort em Sochi, onde Putin tem uma casa, o que foi considerado um indicativo de que um tratamento de câncer estaria em andamento.

Há alguns anos, em 2014, o jornal New York Post publicou ainda que o presidente estava na fase terminal de um câncer de pâncreas e estaria sendo acompanhado por um médico alemão.

Os boatos sobre a saúde do presidente ganharam evidência mais uma vez durante um recente encontro com o ministro da Defesa, Sergei Shoigu. A gravação da reunião, que teve trechos divulgados pelo Kremlin, mostra Putin apertando a mesa durante alguns minutos como uma suposta reação à dor.

As suspeitas forçaram o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, a comentar sobre o caso nesta segunda-feira (30). O chanceler russo negou qualquer doença e disse que todos em “perfeito juízo” podem reconhecer a saúde do chefe do Kremlin.

“O presidente Putin aparece publicamente todos os dias. Vocês podem vê-lo nas telas, ouvir seus discursos. Não creio que as pessoas em seu perfeito juízo possam ver um sintoma de doença nesse homem”, disse Lavrov em entrevista às emissoras francesas TF1 e LCI.

Polêmica da mesa

Grandes mesas foram usadas para garantir o distanciamento entre o presidente russo e seus interlocutores

Grandes mesas foram usadas para garantir o distanciamento entre o presidente russo e seus interlocutores

MIKHAIL KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP

Outro ponto que seria uma prova da saúde fragilizada de Putin é o distanciamento que o presidente impõe aos líderes mundiais que o visitam. O Kremlin obriga que comitivas façam exames de Covid na Rússia para ter contato mais próximo com o chefe do Executivo de Moscou.

Aos que se negam a passar pelo teste do governo, resta uma reunião com Putin em uma enorme mesa, na qual cada um fica em um extremo do gigantesco móvel.

Essa seria mais uma das precauções que o Kremlin implementou pela segurança da saúde supostamente fragilizada de Putin, em um país no qual buscar fontes seguras sobre informações internas se torna cada vez mais difícil.

Apesar de a imprensa ocidental tentar provar a fragilidade da saúde de Putin, ele e o governo, ao longo dos anos, criaram a imagem de um homem atlético. Fotos do presidente sem camisa e andando a cavalo são comuns e produzem no imaginário do povo russo a força de um líder para comandar a nação.

Fonte: R7.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.