Caso anestesista: Emissora mostra cena de estupro sem censura e gera protestos

Cerca de 50 mulheres foram protestar na frente da Jovem Pan, na avenida Paulista, em São Paulo, nesta quarta-feira (13). Elas acusavam a emissora de apologia ao estupro.

De acordo com o jornalista Ricardo Feltrin, do portal UOL, houve princípio de tumulto e a polícia foi chamada para dispersar o ato.

As mulheres seguravam cartazes e gritavam palavras de ordem, pois, na última segunda (11), a Jovem Pan mostrou cenas do estupro cometido pelo médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra contra uma paciente sedada durante o parto. A gravação foi divulgada sem tarjas ou imagens “borradas”, exibindo a identidade da vítima.

As mulheres que manifestavam pediram a demissão dos envolvidos na exibição do vídeo, parte deles do programa Cidade Alerta, da Record.

De acordo com Ricardo Feltrin, ninguém foi ou será demitido por isso.

Entenda o caso

Giovanni foi preso pelo estupro de uma mulher durante o parto no último domingo (10). A delegada Bárbara Lomba, da Delegacia de Atendimento à Mulher, investiga se há pelo menos mais cinco vítimas.

Os casos teriam sido cometidos nas unidades em que o médico trabalhou, entre elas o Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti (RJ).

De acordo com a polícia, a equipe de enfermagem estranhou a quantidade de sedativos que o anestesista dava para as pacientes que passariam por cesarianas. Então, eles posicionaram um celular para gravar o procedimento e conseguiram fazer o registro do ato e denunciá-lo.

A prisão do anestesista foi registrada em vídeo na madrugada da última segunda.

O estuprador foi transferido na noite de terça-feira (12) para o presídio Pedrolino Werling de Oliveira, em Bangu 8. Segundo o portal Metrópoles, ele está na mesma cela que foi ocupada pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), hoje pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro.

A cela da galeria F tem 36 metros quadrados e é ocupada apenas pelo anestesista. Giovanni foi transferido para Bangu 8 por ser um local conhecido onde ficam presos com ensino superior.

Ainda de acordo com o portal Metrópoles, nesta quarta (13), Giovanni Quintella Bezerra tomou o mesmo café da manhã que outros detentos: pão com manteiga e café com leite.

Fonte: Redação Yahoo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.