Daniel Silveira diz que cachorro roeu carregador de sua tornozeleira

O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) disse à PF (Polícia Federal) que o cachorro roeu o carregador de sua tornozeleira eletrônica, por isso foram identificadas 30 violações ao uso do equipamento. O depoimento ocorreu na 5ª feira (15.jul.2021). A informação é do G1.

O político também afirmou que “falhas sistêmicas” na região serrana do Rio de Janeiro o impediram de carregar a tornozeleira. De acordo com ele, de 1º a 3 de maio houve um blecaute, que impossibilitou a recarga.

Também disse que toma um anti-inflamatório que dá muito sono, e, por esse motivo, acabou deixando de carregar o equipamento; que, “por falta de atenção”, esqueceu da recarga ao participar de sessões virtuais da Câmara; e que seus treinos diários de muay thai “podem ter danificado o interior do equipamento”.

Silveira foi preso em fevereiro deste ano depois de gravar um vídeo ameaçando ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e defendendo o AI-5 (Ato Institucional nº 5), que em 1968 endureceu ainda mais a ditadura militar brasileira (1964-1985).

O ministro Alexandre de Moraes chegou a conceder domiciliar ao deputado. Depois de constatadas as 30 violações à tornozeleira, arbitrou fiança de R$ 100 mil contra o político. Como o valor não foi pago em tempo hábil, Moraes mandou Silveira de volta à prisão.

O vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, defendeu o retorno de Silveira à prisão. “Descargas reiteradas, ausência na área delimitada e danos materiais graves ao equipamento se reproduzem em uma frequência por demais alta para quem não desconhece que sua liberdade depende do estrito cumprimento das condicionantes ditadas pela Justiça – a mesma Justiça contra a qual agiu e age movido por interesses ilegítimos”, afirmou.

Poder 360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *