Elon Musk desiste da compra do Twitter

O empresário Elon Musk anunciou, nesta sexta-feira (8), que desistiu do acordo de compra do Twitter no valor de US$ 44 bilhões. Em sua defesa, o CEO da Tesla informou que a empresa de mídia social não forneceu as informações necessárias sobre fake news e perfis falsos existentes em contas da plataforma. A proposta inicial de US$ 54,20 por ação foi feita por Musk para desbancar outras empresas que também tinham interesse no negócio. Em consequência, as ações do Twitter já caíram 7%.

Falha nas informações

Segundo os advogados de Elon Musk, o Twitter falhou ou se recusou a responder a vários pedidos de informações sobre contas falsas ou spam na plataforma, o que é fundamental para o desempenho dos negócios da empresa.

“O Twitter está em violação material de várias disposições do acordo, parece ter feito representações falsas e enganosas nas quais o Sr. Musk se baseou em anunciar o acordo de fusão”, informaram em documento.

Novela Twitter

As idas e vindas no que seria a compra do Twitter por Elon Musk, anunciada inicialmente em abril, se transformaram em uma verdadeira novela. Agora, certamente uma longa batalha judicial será travada entre as partes, principalmente sob o ataque dos acionistas da empresa.

De acordo com os termos do acordo, há uma cláusula que exige o pagamento de uma taxa de separação de US$ 1 bilhão, caso Musk desistisse da transação, valor que certamente a empresa sediada há 16 anos em São Francisco fará tudo para obter.

O que preocupou o homem mais rico do mundo foi a queda no valor das ações do microblog desde abril e também a existência de perfis falsos, construídos por meio de bots, situação que pode afastar investidores e anunciantes.

Apesar de Musk acreditar que cerca de 20% das contas são bots, o Twitter informou que essa situação atinge somente 5% dos usuários, mas não apresentou um relatório consistente com o dado. Segundo a empresa, o número é uma estimativa e pode ser maior.

Briga boa

Caso a batalha judicial se concretize, é bem provável que o Twitter tenha vários aspectos favoráveis, como uma cláusula do contrato de desempenho que diz que o comprador deve respeitar o acordo, honrando o financiamento da dívida.

Elon Musk fez a proposta alta para desbancar outros possíveis interessados pela compra, mas diante de uma queda de 24% no valor das ações desde abril, agora o bilionário percebeu que o negócio não será tão bom quanto se projetava inicialmente, o que influenciou em sua decisão ao revelar a rescisão do acordo.

Além disso, o Twitter está sofrendo pressão em seu negócio de publicidade, congelou as contratações e está demitindo alguns funcionários. Um cenário perfeito para Musk “pular fora do barco”.

Via: Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.