Estados Unidos e aliados acusam China de ciberespionagem e ataques hacker

Os Estados Unidos acusaram a China nesta 2ª feira (19.jul.2021) de desenvolver uma campanha global de ciberespionagem e de ser a responsável por ataques hackers a empresas, incluindo o que afetou a Microsoft no começo do ano. A informação foi divulgada pela agência Reuters

A acusação foi referendada por um grupo de países, que inclui: Grã-Bretanha, Austrália, Japão, Nova Zelândia e Canadá, além da UE (União Europeia) e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse em seu perfil no Twitter que os países responsabilizam a China por seu “padrão de comportamento irresponsável, perturbador e desestabilizador no ciberespaço”. Blinken afirmou que a atuação do país asiático representa uma grande ameaça à segurança econômica e nacional. 

O DoJ (Departamento de Justiça) dos Estados Unidos divulgou uma nota afirmando que 4 cidadãos chineses, funcionários do governo do país asiático, estariam envolvido com os ataques. Eles estão sendo procurados pelo FBI. Leia a íntegra do indiciamento (272 KB).

Os chineses teriam participado da invasão de sistemas de empresas, universidades e entidades governamentais entre 2011 e 2018. De acordo com o DoJ, a investida tinha o objetivo de oferecer vantagem econômica para empresas e setores comerciais chineses.

Estados Unidos, Áustria, Camboja, Canadá, Alemanha, Indonésia, Malásia, Noruega, Arábia Saudita, África do Sul, Suíça e Reino Unido. As autoridades norte-americanas afirmaram que 3 dos acusados são oficiais do Departamento de Segurança do Estado de Hainan, um braço provincial do Ministério de Segurança do Estado da China.

DECLARAÇÕES

A procuradora-geral adjunta do DoJ, Lisa Monaco, disse que as acusações “mais uma vez destacam que a China continua a usar ataques cibernéticos para roubar o que outros países fazem, em flagrante desrespeito aos seus compromissos bilaterais e multilaterais”. 

O vice-diretor do FBI, Paul Abbate, declarou que o governo chinês continua a minar suas próprias alegações de ser um parceiro confiável e eficaz na comunidade internacional. “Não permitiremos que o governo chinês continue a usar essas táticas para obter vantagem econômica injusta para suas empresas e setores comerciais por meio de invasão criminosa e roubo”, disse.

Em comunicado, A Otan condenou as atividades cibernéticas maliciosas que desestabilizam e prejudicam a segurança euro-atlântica e perturbam a vida dos cidadãos. A aliança militar ocidental também atribuiu à China a responsabilidade do ataque contra a Microsoft.

“Em linha com nosso recente Comunicado da Cúpula de Bruxelas, conclamamos todos os Estados, incluindo a China, a respeitar seus compromissos e obrigações internacionais e a agir com responsabilidade no sistema internacional, inclusive no ciberespaço. Também reiteramos nossa disposição de manter um diálogo construtivo com a China com base em nossos interesses, em áreas de relevância para a Aliança, como ameaças cibernéticas, e em desafios comuns”, diz um trecho da nota.

Até a publicação desta reportagem, a Embaixada da China nos Estados Unidos e o Ministério de Assuntos Exteriores da China não haviam se manifestado.

DISPUTA

Os Estados Unidos, sob a administração do democrata Joe Biden, vêm protagonizando uma série de investidas contra a China. O presidente norte-americano participou de vários encontros com autoridades ocidentais nos últimos meses.

Em encontro com o premiê britânico Boris Johnson, os 2 países renovaram compromissos de proteção mútua, segurança e parceria estratégica. Os líderes atualizaram a “Carta do Atlântico”, documento assinado originalmente na 2ª Guerra Mundial.

Com a UE, os norte-americanos intensificaram a parceria comercial e tecnológica para conter a influência da China. No mesmo contexto, depois desses encontros, a Otan disse que a China representa um risco à segurança da aliança.

Fonte: Poder 360

Créditos: Blog do Elias Hacker

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *