Governo propõe orçamento de R$ 41,7 bi para o seguro-desemprego em 2022

O governo propôs um orçamento de R$ 41,7 bilhões para o seguro-desemprego em 2022. Projeções obtidas pelo Poder360 mostram que a expectativa do Executivo é de que 8,2 milhões de trabalhadores recebam o benefício, 440 mil a mais que o esperado para 2022.

A previsão de recursos para o seguro-desemprego consta na proposta orçamentária do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) para 2022, publicada no DOU (Diário Oficial da União) de 5ª feira (17.jun.2021). A proposta foi aprovada em reunião realizada na 3ª terça-feira (15.jun.2021) pelo Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador).

O orçamento previsto para o seguro-desemprego em 2022 é 2% maior que o de 2021. O benefício tem um orçamento de R$ 40,9 bilhões este ano – o valor chegou a ser cortado na tramitação do Orçamento, mas foi recomposto com R$ 2,6 bilhões de crédito suplementar.

TRABALHADORES

Enquanto o orçamento subiu 2%, o número de trabalhadores que devem receber o seguro-desemprego aumentou 5,7%. O governo propôs o orçamento de R$ 41,7 bilhões considerando que 8,2 milhões de trabalhadores vão receber o seguro-desemprego em 2022. É maior que o previsto para 2021 (7,8 milhões) e que o executado em 2020 (7,2 milhões).

O benefício aos trabalhadores formais demitidos sem justa causa responde por 84% dos pagamentos previstos para 2022. O restante divide-se em 4 tipos. Eis os números:

  • Trabalhador formal: 6,8 milhões;
  • Pescador artesanal: 1 milhão;
  • Empregados domésticos: 240 mil;
  • Qualificação profissional: 41,4 mil;
  • Trabalhador resgatado: 873.

De acordo com as projeções do Executivo, haverá aumento dos pagamentos realizados a pescadores artesanais (27%), a trabalhadores resgatados (3,8%), a trabalhadores formais (3,7%) e a empregados domésticos (2,6%).  Já as bolsas de qualificação profissional pagas pelo seguro-desemprego devem cair 46% em 2022, em relação a 2021. O ministro da Economia, Paulo Guedes, promete lançar um novo programa de treinamento para os jovens.

Ministério da Economia registrou 6,8 milhões de pedidos de seguro-desemprego em 2020 e 2,6 milhões de janeiro a maio de 2021. Em maio, foram 527 mil solicitações. Houve ligeira queda em relação a abril, quando foi lançado o novo programa de redução de jornada. Porém, os números ainda estão em patamar superior ao observado no 2º semestre de 2020.

Poder360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *