Governo quer acelerar realização de concurso do INSS que terá mil vagas para técnico do seguro social

O governo federal decidiu encurtar o prazo de realização do concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Uma portaria do Ministério da Economia — publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (dia 1º) — reduziu para dois meses a antecedência mínima entre a publicação do edital da seleção e a aplicação da primeira prova. Antes, esse período era de seis meses.

Com o encurtamento do prazo, os candidatos terão menos tempo para se preparar para o processo seletivo. O concurso vai preencher mil vagas no cargo de técnico do seguro social, que exige formação de nível médio. O edital está em vias de ser publicado.

A autorização para o INSS realizar o processo seletivo foi publicada em 13 de junho deste ano. No entanto, não incluiu vagas para o cargo de analista do seguro social, que exige formação superior, nem para peritos.

O salário inicial oferecido para os técnicos ainda não foi divulgado, mas deve ficar em torno de R$ 5.447. Os trabalhadores ainda recebem R$ 458 de auxílio-alimentação e auxílio-saúde (para o titular e para cada dependente). Além do salário, os técnicos recebem atualmente um bônus por processo finalizado no valor de R$ 57,50.

A realização de concurso para o INSS é uma reivindicação antiga dos servidores do órgão, incluindo médicos peritos, que já paralisaram as atividades neste ano por dois meses.

Déficit de funcionários

Segundo a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Fenasps), atualmente o INSS tem déficit em torno de 23 mil servidores. Entre 2005 e 2022, a quantidade de funcionários ativos no INSS caiu de pouco mais de 42 mil para 19 mil, e o último concurso, para preencher 950 vagas, foi realizado em 2015.

O desgaste mental dos profissionais também é destacado nas demandas da categoria. Dados obtidos pela Fenasps mostram que, desde 2018, foram aprovados 31 mil afastamentos de servidores, sendo 25 mil por períodos superiores a 15 dias.

Fonte: EXTRA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.