Greve de ônibus afeta 1,5 milhão de passageiros e congestionamento chega a 146 quilômetros em SP

Em mais um dia de greve de ônibus na capital paulista, 1,5 milhão de passageiros tiveram dificuldades para chegar ao trabalho. O rodízio de veículos foi suspenso nesta quarta-feira (29) e o congestionamento chegou a 146 quilômetros às 9h, de acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

A paralisação afeta 675 linhas e 6.008 ônibus. A Justiça do Trabalho determinou a manutenção de 80% da frota em circulação nos horários de pico e 60% nos demais horários, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A SPTrans solicitou à Justiça o aumento do valor da multa, além de autuação às empresas pelo não cumprimento das viagens.

Com a liberação da circulação de carros com placas final 5 e 6 e a permissão de tráfego em faixas e corredores de ônibus, motoristas enfrentaram longas filas no trânsito. Às 9h, a CET registrou 146 quilômetros, o pico da manhã. No mesmo dia da semana passada, o índice era de 111 quilômetros.

Na última greve, no dia 14, o pico de congestionamento foi 164 quilômetros. De acordo com a CET, a média de lentidão na cidade está 34% abaixo da média da última greve.

Quase metade do congestionamento está concentrado na região sul, seguido pelas zonas oeste e leste da capital. Apenas na marginal Tietê sentido Castelo Branco, eram sete quilômetros de filas. Na avenida dos Bandeirantes sentido marginal, são outros cinco quilômetros de lentidão.

A Zona Azul na capital está mantida.

O julgamento do dissídio coletivo de motoristas e cobradores de ônibus está marcado para as 15h desta quarta (29) a pedido do SPUrbannus (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de São Paulo).

Fonte: R7.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.