Maurício Souza triplica número de seguidores no Instagram após demissão por homofobia

O jogador de vôlei Maurício Souza, agora sem clube, mais que triplicou o número de seguidores em sua conta no Instagram após se tornar o centro de um debate sobre liberdade de expressão. O central foi demitido do Minas Tênis Clube e não deve mais fazer parte da seleção brasileira de vôlei de quadra.

Maurício Souza fez uma série de comentários homofóbicos em sua conta no Instagram sobre o anúncio da DC Comics de que o personagem Jon Kent, filho de Clark Kent e que assumiu o manto do Superman, é bissexual. O comentário do atleta gerou revolta na sociedade civil.

Crescimento exponencial de seguidores

Número de seguidores do atleta no Instagram não para de crescer. Crédito: Instagram/Reprodução

Quando fez a postagem, há cerca de duas semanas, o jogador tinha cerca de 250 mil seguidores na rede social. No momento do fechamento desta matéria, o central já conta com mais de 805 mil seguidores, um número mais de três vezes maior do que no dia da postagem homofóbica.

Com o crescimento no número de seguidores, Maurício subiu o tom em suas postagens no Instagram, com conteúdo bastante político. O jogador também recebeu apoio de uma série de figuras  ligadas ao governo Bolsonaro, incluindo os filhos do presidente Flávio e Eduardo Bolsonaro.

Entenda o caso

No último dia 12 de outubro, Maurício Souza postou em sua conta no Instagram uma foto em que o personagem de histórias em quadrinhos Jon Kent aparece beijando o namorado, o ativista hacker Jay Nakamura. A imagem é um print da notícia de que o personagem é bissexual.

Na legenda da postagem, Maurício fez um comentário abertamente homofóbico: “A é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, escreveu o atleta. A mensagem foi bastante repudiada dentro do universo do esporte e por grande parte da sociedade civil.

Depois disso, o central fez outras postagens de cunho homofóbico no Instagram, que reforçavam sua posição. Com isso, alguns patrocinadores do Minas Tênis Clube, como Fiat e Gerdau, foram pressionados a se posicionar sobre a situação e ameaçaram retirar o apoio ao clube.

As duas empresas pediram uma retratação por parte do atleta, que até veio, mas em um local de menor relevância, o Twitter, em que o atleta tinha pouco mais de 50 seguidores. No Instagram, porém, Maurício manteve sua posição, o que acabou culminando em sua demissão na última quarta-feira (27).

Fonte: Olhar digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *