Na Índia, médicos pedem para que pessoas não usem esterco bovino contra covid

Na Índia, os médicos alertaram a população que espalhar esterco de vaca pelo corpo não é uma medida protetiva contra a Covid-19 e que isso pode causar risco de contágio por outras doenças.

Em Gujarat, algumas pessoas foram até currais para cobrir o corpo de esterco e urina de vaca. O objetivo era de que isso fortaleça a imunidade contra o coronavírus ou até ajude a se recuperar da doença.

vírus da covid já infectou mais de 22,6 milhões de pessoas na Índia, sendo mais de 246 mil mortes notificadas oficialmente. A situação é da falta de leitos hospitalares, oxigênio e remédios.

No hinduísmo, a vaca é sagrada e um símbolo da vida e da terra. Ao longo dos séculos, eles usaram esterco de vaca em rituais religiosos, acreditando nas propriedades terapêuticas.

“Vemos até mesmo médicos aqui. A crença deles é que essa terapia melhora a imunidade e que eles podem atender os pacientes sem receio”, explicou Gautam Manilal Borisa, um gerente de uma empresa farmacêutica.

Os indianos passam uma mistura de estrume e urina nos corpos e esperam secar. Depois, se abraçam, fazem homenagens às vacas e também praticam yoga.

Especialistas da área de saúde e ciência na Índia avisaram que tratamentos sem eficácia promovem uma falsa sensação de segurança durante a pandemia e pode piorar a situação. De acordo com o presidente da Associação Médica Indiana, doutor J.A. Jayalal, não há nenhuma comprovação científica de que esterco e e urina de vaca fortalecem a imunidade contra a Covid-19.

Além do risco dos animais contaminarem os humanos através do esterco, a ocasião causa aglomerações e isso vai contra as orientações mundiais de especialistas para evitar a infecção por covid.

Olhar Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *