PCs devem ficar mais caros com reajuste do preço de chips da Intel

Intel estaria preparando um aumento no preço dos seus componentes em uma medida que pode encarecer computadores pelo mundo inteiro. De acordo com o jornal japonês Nikkei, a gigante dos semicondutores já estaria avisando clientes de que seus processadores e outros chips podem sofrer reajuste de 10% a 20% até o fim do ano.

Com preços de componentes como processadores mais altos, a tendência é que as fabricantes de PCs e notebooks repassem a diferença para o consumidor, aumentando assim o preço final dos dispositivos.

Há alguns meses, na divulgação de resultados financeiros para o primeiro trimestre do ano fiscal de 2022, a empresa já tinha dado a entender que um reajuste de preços estava a caminho. “A Intel indica que vai aumentar preços em certos segmentos dos seus negócios devido a pressões inflacionárias. A empresa começou a alertar consumidores dessas mudanças”, disse a empresa ao jornal Nikkei.

O possível aumento nos preços de componentes é explicado por diversos fatores. Para começar, a pandemia do coronavírus fez com que a busca por computadores aumentasse consideravelmente a partir de 2020. No entanto, dois anos depois, essa bolha estourou, e fabricantes como Acer e Asus enfrentaram queda nas vendas de dispositivos, diminuindo assim a procura dessas empresas por componentes.

A Intel não é a única fabricante de chips que tem a intenção de aumentar preços de componentes: a rival TSMC também confirmou que seus processadores devem sofrer reajuste “de um dígito” a partir do ano que vem.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.