Pesquisa desenvolvida na UFCG apresenta uma nova perspectiva sobre a história de Serra da Raiz-PB e sobre a vida do padre Luís Gonzaga de Oliveira

Em agosto, a Biblioteca de Dissertações e Teses da Universidade Federal de Campina Grande disponibilizou, em sua plataforma digital, o trabalho intitulado A solidão dos nômades: a trajetória do padre Luís Gonzaga de Oliveira (1915-1971). Trata-se de uma dissertação de mestrado escrita pelo professor Júlio Miguel de Aquino sob a orientação da professora Dr.ª Joedna Reis de Meneses. A partir de uma análise minuciosa de diversas fontes históricas, o referido historiador reconstruiu a trajetória do padre Luís Gonzaga de Oliveira – escritor e professor paraibano que se projetou no cenário intelectual paraibano a partir dos textos publicados no jornal A Imprensa.

Ao longo do trabalho, o historiador mostrou o quanto a imagem que temos do padre Luís foi produto de um complexo processo de manipulação da memória local orquestrado pelos membros da ONG SACI (Sociedade Amigos da Cultura Iniguaçu) – instituição mantida por alguns descendentes do sacerdote paraibano. Notadamente alimentado por interesses familiares, este processo de manipulação ganhou bastante força a partir da união entre alguns membros da ONG SACI e a atual gestão do município de Serra da Raiz-PB.

O trabalho A solidão dos Nômades não só descortinou os interesses dos indivíduos que, até pouco tempo, monopolizavam a escrita da história de Serra da Raiz-PB, como também mostrou o quanto a história do referido município é marcada pela concentração de poder nas mãos de uma elite política e econômica.

Link de acesso ao trabalho completo:

JÚLIO CÉSAR MIGUEL DE AQUINO CABRAL – DISSERTAÇÃO (PPGH) 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *