Pesquisa eleitoral 2022: Rejeição de Tebet supera de Lula e Bolsonaro, diz PoderData

 

  • Pesquisa eleitoral 2022: PoderData aponta Simone Tebet com rejeição maior que a de Lula, Bolsonaro e Ciro Gomes
  • Pré-candidata do MDB tem 63% de rejeição e 1% das intenções de voto
  • Foi a primeira vez em que o levantamento testou o nome de Tebet nesta categoria

A rejeição de Simone Tebet (MDB) é maior que a dos outros três pré-candidatos que estão à frente dela nas pesquisas: Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (PL) e Ciro Gomes (PDT). A informação foi revelada pela pesquisa eleitoral PoderData.

A emedebista tem 63% de rejeição, segundo o levantamento, feito entre os dias 5 e 7 de junho. É a primeira vez em que o nome de Simone Tebet é testado nesta categoria, em que os eleitores são questionados em qual candidato não votariam de jeito nenhum.

Líder na rejeição, a pré-candidata do MDB aparece mal colocada nas intenções de voto, com 1%. A pesquisa PoderData divulgada na última quarta-feira (8) foi a primeira da série sem o nome de João Doria (PSDB), que seria uma adversário de Tebet na chamada “terceira via”.

Veja os resultados:

  • Simone Tebet (MDB): 63%
  • Jair Bolsonaro (PL): 49%
  • Ciro Gomes (PDT): 45%
  • Lula (PT): 39%

Foram ouvidas 3 mil pessoas por meio de ligações para celulares e telefones fixos. A margem de erro é de dois pontos percentuais. No TSE, a pesquisa está registrada sob o número BR-01975/2022.

Apoio do PSDB

PSDB confirmou nesta quinta-feira (9) que vai apoiar Simone Tebet (MDB) à presidência da República. Foi feita uma votação interna e, após o resultado, o anúncio foi feito nas redes sociais da legenda.

“O partido segue firme e convicto na construção de uma alternativa a Lula e Bolsonaro por um país mais próspero e unido”, afirmou o partido em nota. A oficialização ficou por conta da Executiva Nacional do PSDB que, agora, se soma ao MDB e ao Cidadania no apoio a Simone Tebet.

Após a decisão, Tebet celebrou a decisão. “Este é um reencontro do centro democrático não agendado pela história, mas exigido por ela. No passado, democracia, cidadania, justiça social. Hoje, pelos mesmos valores e com a mesma urgência, unimos forças por um Brasil sem fome e sem miséria”, afirmou.

Fonte: Poderdata

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.