Petrobras (PETR4): Retaliação de Lira pode custar US$ 2,2 bilhões em dividendos no ano que vem

Petrobras (PETR3PETR4) pode deixar de pagar US$ 2,2 bilhões em dividendos em 2023 caso a proposta de Arthur Lira de aumentar o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) da estatal de 9% para 18% seja aprovada, calcula o BTG Pactual em relatório enviado a clientes.

Além disso, a proposta também iria gerar uma perda de US$ 18 bilhões em impostos adicionais para o governo, prevê o analista Pedro Soares, que assina o documento.

A medida é uma reação de Lira ao aumento de combustíveis anunciado mais cedo pela Petrobras, que subiu o diesel em 14,26% e a gasolina em 5,18%.

“O presidente da Petrobras tem que renunciar imediatamente. Não por vontade pessoal minha, mas porque não representa o acionista majoritário da empresa –o Brasil– e, pior, trabalha sistematicamente contra o povo brasileiro na pior crise do país”, disse.

Na visão de Soares, embora os impactos ainda não pareçam materiais, é esperado várias propostas diferentes nos próximos dias.

“Muitos deles parecerão irreais, mas achamos que o ruído continuará superando os fundamentos da Petrobras. Nesse ponto, as vantagens e desvantagens são significativas dependendo do que esperar após as eleições, o que corrobora com nossa visão de que é uma tese de investimento de alto risco e que são os melhores nomes de petróleo por aí”. coloca.

Cade pode entrar na jogada da Petrobras

Governo e Congresso já planejam aumentar a pressão sobre o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) por ações que ajudem a conter a alta dos combustíveis, informa a Bloomberg.

Apesar de o Legislativo ter avançado com o projeto que desonera o ICMS do diesel e do gás e zera o PIS/Cofins e a Cide da gasolina e do etanol, a avaliação é que o Cade está demorando demais para avançar sobre a Petrobras (PETR3;PETR4).

A autarquia, segundo líderes do centrão, já deveria ter dado algum passo concreto nos processos envolvendo a estatal, especialmente naquele em que a Petrobras responde por abuso de posição dominante.

Siga o Money Times no Facebook!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.