PF abre investigação contra Bolsonaro em caso de suposta prevaricação

A PF (Polícia Federal) abriu um inquérito para investigar se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prevaricou no caso da compra da vacina Covaxin pelo governo federal, segundo apurou o Poder360. A investigação foi pedida PGR (Procuradoria-Geral da República) e autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

A solicitação para investigar Bolsonaro foi feita pela PGR (Procuradoria Geral da República). A manifestação foi assinada pelo vice-procurador-geral Humberto Jacques de Medeiros. A ministra Rosa Weber, do STF, autorizou e deu o prazo de 90 dias para a investigação.

A investigação teve início com uma notícia-crime enviada ao Supremo na 2ª feira (28.jun.2021) pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e Jorge Kajuru (Podemos-GO). Eles dizem que Bolsonaro prevaricou ao não requisitar à PF (Polícia Federal) a abertura de uma investigação para apurar o suposto caso de superfaturamento na compra da vacina indiana Covaxin.

Suspeitas sobre a aquisição do imunizante teriam sido levadas ao conhecimento do presidente em 20 de março pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e pelo seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda.

Esta reportagem está sendo atualizada.

Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.