Receita Federal alerta para golpes em anúncios de itens alfandegários

A Receita Federal publicou um comunicado alertando sobre golpes realizados através de anúncios pagos de produtos com valores muito inferiores ao preço original. Os criminosos têm feito essas publicidades usando nomes de unidades do Fisco que cuidam de atividades das alfândegas para atrair vítimas.

“Estelionatários usam anúncios pagos, que aparecem como publicidade em sites da internet, para atrair potenciais vítimas por meio da venda de produtos com preços muito abaixo do mercado”, alerta a Receita Federal.

O comunicado informa que as unidades alfandegárias não comercializam nenhum tipo de produto.

“A Receita Federal ressalta que suas Alfândegas não comercializam mercadorias. Essas unidades são responsáveis por gerir e executar atividades de controle aduaneiro, de atendimento e orientação ao cidadão e as relativas ao combate aos ilícitos tributários e aduaneiros, inclusive à contrafação, à pirataria, ao tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, ao tráfico internacional de armas de fogo e munições e à lavagem e ocultação de bens, direitos e valores, observadas as competências específicas de outros órgãos.”

imposto de renda receita federal irpf
Receita Federal alerta que os itens detidos não são comercializados via e-commerce. Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As alfândegas são responsáveis por controlar e fiscalizar a entrada e saída de itens do Brasil. Caso determinado item ultrapasse a quantidade permitida no tráfego de mercadorias os objetos podem ser retidos com a cobrança de uma taxa para recolhimento ou ser detido de maneira permanente pelo órgão. Geralmente, os itens detidos pela alfândega costumam ser leiloados pela Receita Federal.

Golpe

No início de julho, a Receita Federal divulgou um comunicado similar alertando sobre o falso imposto cobrado no empréstimo de Operações Financeiras (IOF) via PIX. Nesse golpe, os fraudadores fornecem documentos falsos de notificação e arrecadação. Assim, eles induzem os cidadãos a recolherem taxas inexistentes para a liberação do dinheiro emprestado. Através da transferência instantânea, a vítima repassa o suposto IOF, entregando o dinheiro aos bandidos.

Via: Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.