Republicanos barram projeto de lei que ampliaria acesso ao aborto nos EUA

Senadores republicanos conseguiram barrar um projeto de lei, apresentado pelos democratas, que ampliaria o acesso ao aborto nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (11).

A derrota já era antecipada por analistas políticos do país e foi confirmada em uma votação de 51 a 49 – abaixo dos 60 votos necessários para que a legislação fosse aprovada.

A norma debatida no Senado se destinava a proteger o direito ao aborto seguro em todo o país, ainda que a Suprema Corte vote por derrubar o caso “Roe contra Wade”, o que pode acontecer em breve.

O assunto é bastante polarizado nos EUA e pode definir o futuro das eleições legislativas de meio de mandato, marcadas para novembro.

A votação ocorreu após o vazamento de um rascunho da Suprema Corte que mostra a maioria conservadora disposta a revogar a permissão que garante o direito ao aborto em todo país.

Conhecida como “Roe contra Wade”, a decisão de 22 de janeiro de 1973 estabeleceu que o direito ao respeito à vida privada garantido pela Constituição também se aplicava ao aborto.

5 pontos para entender a possível derrubada do direito ao aborto nos EUA
Ativar som

5 pontos para entender a possível derrubada do direito ao aborto nos EUA

O líder da maioria democrata no Senado, Chuck Schumer, argumentou em favor de uma legislação própria sobre o aborto que não dependa da decisão da Suprema Corte.

“Dezenas de milhões de mulheres verão suas liberdades cerceadas em um abrir e fechar de olhos”, disse o senador.

O projeto de lei “Proteção da Saúde da Mulher”, aprovado pelos deputados – onde há maioria democrata – cria um estatuto federal que garante aos prestadores de atenção médica o direito de realizar abortos, e às pacientes, o direito de recebê-los.

G1

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.