Sequestro de dados: como sua empresa pode se prevenir deles?

Você já ouviu falar em sequestro de dados? Ainda não? Pois saiba que o “modus operandi” de muitos cibercriminosos está mudando e, hoje, eles já não pensam apenas em invadir sistemas e destruir informações, mas em ganhar dinheiro chantageando sua empresa.

Todo negócio utiliza softwares para a sua gestão e, com isso, acaba por gerar diversos dados relevantes que ficam salvos nas próprias máquinas da empresa e sem nenhuma proteção.

Essa situação pode gerar uma vulnerabilidade a ser explorada pelos hackers para bloquear seu acesso às suas informações e cobrar valores de resgate. No entanto, não se preocupe, pois, neste post, vamos ensiná-lo a se prevenir contra esse golpe. Confira!

O que é sequestro de dados?

A evolução da tecnologia não é responsável apenas por nos brindar com ótimas ferramentas para melhorar os processos de uma empresa, mas também pode abrir certas brechas para que criminosos tenham acesso aos seus dados.

O sequestro de dados é uma modalidade de ataque na qual o objetivo do hacker não é roubar informações ou corrompê-las. O intuito dos cibercriminosos é bloquear seu acesso a dados sensíveis de sua organização para que você se veja obrigado a pagar um resgate.

Esse pagamento é, geralmente, realizado em Bitcoins, a moeda digital, que, por meio de sua tecnologia de Blockchain, torna impossível rastrear o destino final do valor, garantindo a impunidade do golpe.

Por conta disso, o número de ataques visando a sequestrar dados, não apenas de empresas, mas também de computadores pessoais, vem aumentando muito nos últimos tempos, exigindo que usuários e organizações busquem cada vez mais proteção.

Quais os tipos mais comuns de ataque?

O modelo mais comum de ataque utilizado pelos cibercriminosos em suas ações é, com certeza, o ransomware, mas os hackers podem se utilizar de alguns outros recursos para acessar suas máquinas. A seguir, listaremos os principais.

Spywares

Os spywares são pequenos programas que têm como principal objetivo monitorar o comportamento do usuário, enviando todas as informações coletadas ao hacker. É por meio de malwares como esses que o criminoso identifica todos os programas utilizados na máquina e traça a sua estratégia de invasão.

Keyloggers

Os keyloggers também são uma espécie de programa de monitoramento, porém, seu objetivo é registrar tudo aquilo que é digitado no teclado — dentre essas informações, suas senhas. Após descobrir seus passwords, o hacker pode mudá-los e exigir um resgate.

Corrompedores de arquivos

Os vírus destroem arquivos ou impossibilitam o uso da máquina, o que impede o acesso à informação. Após a contaminação, o criminoso pode entrar em contato, oferecendo a solução em troca de uma determinada quantia em Bitcoins.

Ransomware

O mais famoso golpe do momento acontece com a utilização de ransomwares — vírus que são mais complexos e que, em vez de destruírem e corromperem dados, simplesmente impedem o acesso à máquina, exigindo um pagamento para liberação da informação. Para isso, eles dispõem de diversas técnicas de criptografia que tornam impossível a utilização do computador.

As dicas de proteção contra o sequestro de dados

Como você pôde perceber logo acima, são várias as maneiras utilizadas pelos hackers para invadir um sistema e roubar dados. Esse tipo de ação não apenas prejudica as operações de uma empresa, como traz insegurança aos seus clientes. Para evitar essas situações e prevenir ataques, você pode implementar as dicas que vamos listar aqui. Acompanhe!

Faça duas cópias de backup

A integridade e a periodicidade são fundamentais para garantir que sua cópia de backup possa ser utilizada na hora em que for necessária. O ideal é criar uma rotina que realize duas cópias, salvando uma em meio físico, e outra, na nuvem.

Dessa forma, caso a máquina que tenha a cópia física seja atingida ou contaminada, é possível recuperar os dados por meio do backup salvo em nuvem e garantir a continuidade dos negócios.

Mantenha o antivírus e o firewall atualizados

Lembre-se de que os cibercriminosos costumam utilizar as vulnerabilidades encontradas em programas e sistemas para realizar a instalação de seus malwares. Mantenha antivírus e firewalls atualizados para garantir a proteção necessária e evitar brechas e falhas.

Não abra anexos de desconhecidos

A maneira mais simples de instalar malwares é por meio da anexação de arquivos em e-mails. Por exemplo, o arquivo espião pode estar junto a uma foto que, quando aberta, instala o vírus em sua máquina.

Trabalhe senhas seguras

Senhas devem ser seguras e alteradas rotineiramente. Hoje, como utilizamos muitos sistemas, acabamos por usar apenas um password em todos, dessa forma, caso o hacker descubra um, pode acessar todas as outras aplicações.

Monitore os processos na máquina

Mesmo que os vírus sejam difíceis de controlar ou localizar, eles devem rodar processos como qualquer outro programa. Ao observar algum sistema estranho rodando na máquina, encerre a conexão com a Internet imediatamente e chame um técnico para verificar a situação.

Adicione regras de filtro em e-mails

A maioria dos vírus circula por e-mails e chega até a sua caixa de mensagens por meio de servidores conhecidos por repassar spam. Adicionar filtros de palavras e servidores em seu provedor de e-mail pode diminuir muito a incidência de mensagens como essas, evitando cliques em arquivos suspeitos.

Crie políticas de segurança

A engenharia social é uma das principais armas utilizadas pelos hackers para chegar até o seu objetivo, que é sequestrar seus dados. Para isso, eles utilizam contatos diretos com os colaboradores, passando-se por outras pessoas para obter senhas e acessos.

Também é comum que os cibercriminosos criem páginas semelhantes à programas utilizados por sua empresa para roubar dados ou encaminhem e-mails copiados de companhias de sua confiança.

Para evitar essas situações, é preciso criar políticas claras de segurança da informação, orientando e treinando seus colaboradores a como agir em determinadas situações e a não tomar certas atitudes, como clicar em um link suspeito.

O sequestro de dados pode prejudicar a sua empresa e sua imagem no mercado e, por conta disso, proteger-se e evitar essa situação deve ser uma prioridade para o seu negócio sempre.

Fonte: Metro Byte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *