SUSPEITO DE MATAR O EX-PRIMEIRO-MINISTRO DO JAPÃO REVELA MOTIVAÇÃO PARA O CRIME

As ações imediatas acerca do homicídio do ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe resultaram na prisão de Tetsuya Yamagami, hoje, às 11h32, conforme a declaração do governo da cidade de Nara.

Nas primeiras informações passadas pela imprensa local, o suspeito alegou aos policiais não ter nenhum rancor contra o ex-chefe de Estado, revelando que a sua motivação teria vindo pelo seu sentimento de “frustração e insatisfação”, por ele renunciar o cargo em setembro de 2020, devido motivos de saúde.

O Ministério da Defesa disse que uma pessoa com o mesmo nome do morador de Nara integrou a Marinha japonesa, conhecida como Autodefesa Marítima, de 2002 a 2005.

Jarras antigas revelam como os romanos produziam vinho tinto e branco

Conforme repercutido pelo portal UOL, a polícia indica que a arma devia ser de “algum tipo”, o que sinaliza suspeitas de que o aparato foi manipulado, não sendo a versão original do revólver.

Um vídeo foi divulgado pela emissora estatal NHK, revelando o momento do disparo.

Últimas tentativas

Em nota divulgada para a imprensa local, o hospital onde Abe foi levado disse que ele morreu às 17h03, no horário local (5h03, em Brasília), cerca de cinco horas e meia depois que foi baleado.

Um dos profissionais que estava fazendo os procedimentos médicos disse à agência japonesa Jiji que o homem de 67 anos sangrou até a morte, devido a dois ferimentos profundos, um deles no lado direito de seu pescoço. Ele não tinha sinais vitais quando deu entrada no hospital.

Fonte: UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.