Vacina da Pfizer contra a ômicron deve sair já em março

A Pfizer, que está trabalhando no desenvolvimento de uma vacina específica contra a variante ômicron da Covid-19, anunciou que o lançamento do imunizante deve ocorrer em março deste ano. A atualização da vacina visa uma proteção maior contra a cepa mais transmissível da doença.

De acordo com o CEO da empresa, Albert Bourla, as primeiras doses da vacina otimizada contra a ômicron serão já estão sendo fabricadas. Segundo o executivo, os primeiros lotes estão sendo produzidos “a risco”, o que ainda não há um comprador certo para as doses.

Produção a risco

Vacinas
Primeiras doses da vacina específica contra a ômicron serão produzidas a risco. Crédito: Shutterstock

Esse modelo foi escolhido pela empresa porque a Pfizer ainda não sabe em qual contexto a vacina seria usada. Porém, assim que forem disponibilizadas, as doses devem ser vendidas, uma vez que já há sinalização de interesse por parte de alguns países.

“A esperança é que alcancemos algo que tenha uma proteção muito, muito melhor principalmente contra infecções”, disse Bourla à rede de TV estadunidense CNBC. “A proteção contra as hospitalizações e as doenças graves é razoável agora, com as vacinas atuais”, completou o executivo.

Segunda geração

Se os planos da gigante farmacêutica derem certo, essa será oficialmente a primeira vacina de segunda geração contra a Covid-19. Essa atualização seria diferente por usar uma cepa diferente da original nas etapas iniciais de desenvolvimento da vacina, neste caso, a variante ômicron do vírus da Covid-19.

As chamadas vacinas de primeira geração foram desenvolvidas tendo como base a cepa original do vírus, que foi descoberto no final de 2019 na cidade de Wuhan, na China. Contudo, depois de quase dois anos de pandemia, a eficácia desses imunizantes tem diminuído.

Isso acontece porque os vírus são formas de vidas que passam por mutações em uma velocidade muito alta, e a variante ômicron é um exemplo disso. A cepa tem pelo menos 32 mutações somente na proteína spike, que é usada pelo vírus para um primeiro contato com as células.

Via: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *